PSICOTERAPIA BONDING

A psicoterapia Bonding é um processo psicoterapêutico de grupo para o tratamento de perturbações ligadas à falta de satisfação das necessidades correntes do paciente e das necessidades psicossociais básicas neurobiologicamente ancoradas.
 
A necessidade de vinculação tem uma função central. Experiências insatisfatórias e dolorosas levam ao desenvolvimento de representações de apego inseguro com padrões disfuncionais relacionados. Esses padrões são ativados através do estabelecimento de contato físico e da expressão forte de emoções.
 
A psicoterapia emocional individual ou de grupo é uma variante da psicoterapia bonding, que é a psicoterapia padrão. Obedecem aos mesmos princípios, mas Não existe contacto físico e a expressão de emoções é mais atenuada.
Os destinatários da “Psicoterapia Bonding”, também conhecida no passado por “Psicoterapia Emocional” ou “Psicoterapia do Grito”, são, primacialmente, pessoas com problemas psicológicos ou emocionais baseados na falta de preenchimento de necessidades psicossociais básicas, como a necessidade de vinculação (relação de afecto e ligação aos pais estabelecida desde fases precoces da vida).

REDUZIR SINTOMAS

 

AUMENTAR O PRAZER

AUMENTAR A ALEGRIA DE VIVER  

 

A introdução da Psicoterapia Emocional e Bonding em Portugal apareceu por uma necessidade clínica: chegar à fala com toxicodependentes internados em Comunidades Terapêuticas, normalmente tão reativos e alexitímicos face a psicoterapias tradicionais, e encontrar um tratamento efetivo para eles.

Podemos dizer que a Psicoterapia Emocional e Bonding cumpriu essa tarefa, pacificando as relações entre toxicodependentes e entre estes e os técnicos e familiares. Surgiu primeiro, em 1985 na forma de grupos de confronto, e mais tarde, em 1988,  de psicoterapia bonding propriamente dita, na Comunidade Terapêutica da Praça de Diu (Neto 1990). Foram necessárias, durante esse período, cerca de 13 viagens à Holanda e à Bélgica, e outras tantas de estrangeiros em Portugal para a implantar e desenvolver.

Nas famílias, ajuda a transformar a zanga em amor

Nos casais, ajuda a transformar o afastamento em amizade

Nos indivíduos, ajuda a transformar a solidão em sentimento de pertença

PSICOTERAPIA BONDING

 NO MUNDO

Associação Europeia de 
Psicoterapia
Associação Internacional de 
Psicoterapia Bonding
Associação Argentina de 
Terapia Bonding
 
 

Neto D (l990)Deixar a Droga. Tratamento Combinado de Toxicodependentes. Edições 70. Lisboa.

1.

Neto D (2000)Ecologia e Relações Humanas. Fim de Século, Edições. Lisboa

2.

Neto D (2014)Book: : Psicoterapia Emocional e Bonding, Ed Climepsi. Lisboa, 

3.

Gago J, Neto D (2001)Alexitimia e Toxicodependência. Toxicodependências. 2001 Edição SPTT; 7/3; 19-22.

4.

Gago J, Neto D (2001)Alexitimia e Toxicodependência. Toxicodependências. 2001 Edição SPTT; 7/3; 19-22.

5.

CASRIEL, Daniel (1963)So Fair A House: The Story Of Synanon. s.l.: David Abrahansen, M.D. – General Editor

6.

CASRIEL, Daniel (1972)A Scream Away from Happiness. New York: Grosset& Dunlap, 1972

7.

Lair JC, Lechler WH. (1980) I exist, I need, I’m entitled. Doubleday and Company. New York.

8.

 Casriel D. (1981) New Identity Process. In Raymond & Corsini. Handbook of Innovative psychotherapy. New York. Hohn Wiley & Sons.

9.

Chapter of Book: Neto D, Torres N (2001): Tratamento combinado e por etapas de dependentes químicos. Evolução histórica e resultados conseguidos (doenças da adição e seu tratamento); em Torres N, Ribeiro JP (ed): A Pedra e o Charco (sobre o conhecimento e intervenção nas drogas). Íman Edições, Lisboa, 2001. Capítulo 6, pp 297-319

10.

Stauss K. (2007) Bonding Psychotherapy. Theoretical Foundations and Methods. ISBP. ISBN 9081191217.

11.

Stadtmüller G, Gordon J. (2011) The Biological Correlates of Emotions. International Journal of Psychotherapy 15: 3: 6-24.

12.

Greenberg L, Safran J. (1989) Emotion in Psychotherapy. American psychologist, 44.1.19-29.

13.

Greenberg L, Rice, L, Elliott R. (1993) Facilitating Emotional Change: The Moment-by-Moment Process, New York. Guilford Press.

14.

Greenberg L, Paivio S. (1997) Working with Emotion in Psychotherapy. New York: Guilford Press.

15.

Greenberg L. (2002) Emotion-focused therapy: Coaching clients to work through feelings. Washington DC. American Psychological Association Press.

16.

Greenberg L, Rice, L, Elliott R. (1993) Facilitating Emotional Change: The Moment-by-Moment Process, New York. Guilford Press.

17.

Greenberg L. (2010) Emotion-focused therapy: a clinical synthesis. Focus the journal of lifelong learning in psychiatry. Winter 2010, Vol. VIII, No. 1

18.

BIBLIOGRAFIA

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now