Necessidades biopsicossociais e bem-estar psicológico

No workshop de Fevereiro tivemos contributos riquíssimos de Carla Madaleno Batista e de Adelaide Saramago para a psicoterapia emocional e bonding.

Esta terapia não é só baseada na diminuição do sofrimento, mas antes na descoberta do prazer. As atitudes patológicas irão ser mais facilmente expostas para obtenção de bem-estar ao invés de o evitamento de sofrimento. A maioria das pessoas aprende a viver no isolamento, não aprendemos a viver uma vida com prazer.

A teoria de Psicoterapia Bonding, desenvolvida segundo Casriel, considera: - TEORIA LIGAÇÃO EXISTENTE (BONDING) - TEORIA DO ATTACHMENT - TEORIA DA CONSISTÊNCIA - TEORIA PSICOTERAPIA EMOCIONAL - TEORIA PSICODINÂMICA INTERPESSOAL - AUTO-REGULAÇÃO - PESQUISA CEREBRAL

A teoria Psicoterapia de Bonding moderna, baseia-se/integra: - TEORIA DO ATTACHMENT - TEORIA CONSISTÊNCIA - PSICOTERAPIA EXPERIMENTAL - TEORIA PSICODINÂMICA - AUTO REGULAÇÃO - PESQUISA CEREBRAL

1.Importância das necessidades biopsicossociais e bem-estar psicológico

O grande contributo de Casriel, foi o de perceber que um grande número de problemas psicológicos, derivam de uma falta de contacto físico, bem como de esperança emocional – Bonding.

Casriel, afirma que a necessidade de bonding dura a vida toda, não estando apenas limitada à infância.

Ao mesmo tempo que a teoria de Bonding, era desenvolvida por Casriel, Bowlby, desenvolvia a teoria do Attachment. Esta diz-nos que a falta de attachment, é a causa de muita instabilidade psicológica.

Atualmente, acredita-se que pelo menos 7 necessidades básicas biopsicossociais, têm que ser satisfeitas para que exista sanidade mental- Saúde. São elas:

- Necessidade de Bonding: Contacto físico e esperança emocional - Necessidade de Attachment - Necessidade de Autonomia - Necessidade de Reconhecimento e Autoestima - Necessidade de identidade - Necessidade de bem-estar físico e gratificação - Necessidade de sentido

2. Desenvolvimento das necessidades biopsicossociais e bem-estar psicológico

Do ponto de vista do desenvolvimento psicológico a tarefa primária nos 1º meses de vida, consiste no desenvolvimento do sistema bonding através da sintonia emocional com os outros. O contacto entre mãe e filho é estabelecido através da troca de sinais circulares, de avanços e recuos denominada “ciclos de interações”.

São dadas à criança sinais, sensações emocionais, como contacto com a pele, expressões faciais. No cérebro são armazenadas estes sinais, para que possam ser reproduzidos pela criança através da imitação, sendo este o início do sistema Bonding que permite a comunicação quer física, quer psicológica.

A capacidade de Bonding é um núcleo fundamental de todo o sistema de comunicação.

O Bonding, é percebido de modo a envolver tanto abertura emocional como contacto físico. O foco verifica-se nas emoções e envolve tanto ressonância emocional como toque.

As seguintes cognições estão associadas com o esquema emocional funcional da necessidade de Bonding: “eu posso ser próximo dos outros. Eu tenho o direito de viver. Eu existo. A minha existência, as minhas necessidades e as minhas emoções trazem alegria a outros. Eu sou uma prenda. Eu consigo comunicar as minhas emoções aos outros”

ATTACHMENT - VINCULAÇÃO

Quando uma criança satisfaz as necessidades de Bonding, inicia-se o desenvolvimento do sistema de Attachment.

O Attachment, classifica-se como uma relação profunda e duradoura entre a criança e o seu primeiro cuidador.

Um Attachment seguro conduz ao sentimento, em situações de crise de segurança, de proteção e a um sentido de bem-estar, sendo que para maioria das crianças, a mãe é a figura de attachment mais significativa. É, portanto, crucial que a criança sinta que pode encontrar na mãe (ou na figura de referência) uma base segura que pode chamar, ou a quem pode recorrer quando se encontra num estado de inquietação.

Uma figura de Attachment primária, acalma, conforta, encoraja e anima a criança, proporcionando um sentimento de attachment seguro. Este envolve uma sensação contínua de uma relação segura, previsível e que envolve uma ligação afetiva.

As seguintes cognições, estão associadas ao esquema emocional funcional resultante da necessidade de attachment: “eu posso confiar e contar com os outros. O mundo relacional é um lugar seguro. Eu posso pedir ajuda quando necessito. Eu não estou sozinho”

2.1 AUTONOMIA

Pressupondo que se tem as necessidades de bonding satisfeitas e um attachment seguro, desenvolve-se o sistema de Autonomia. A curiosidade e o desejo de testar as competências físicas fazem com que a criança se volte para o mundo exterior. O mundo, vai então ser explorado usando a base de segurança do bonding e do attachment. A criança descobre que está capacitada para comunicar e relacionar-se efetivamente com o mundo exterior. As seguintes cognições estão associadas com o esquema funcional emocional “eu posso ser eu mesmo. Eu sou Eu. O mundo é um local onde existem um monte de coisas para descobrir. Eu sou curioso, eu posso descobrir e explorar o outro mundo”

2.2 AUTO ESTIMA

Quando bonding, attachment e as experiências de autonomia estão consolidadas, reconhecidas e refletidas pelos outros, um sentimento de competência, dignidade e Autoestima, desenvolve-se. É a base para o desenvolvimento normal, narcisismo saudável e amor-próprio. As cognições que estão associadas a este esquema emocional funcional são: “sou acessível. Sou bom, tal como sou”.

2.3 IDENTIDADE

Depois de se ter desenvolvido um attachment seguro, bonding e com base nisto uma autonomia e autoestima, o próximo nível a desenvolver é o sistema de Identidade. Existem duas formas primárias de identidade: Social e de Género. A identidade Social, envolve o contexto social e relações familiares, enquanto que a identidade de género, tem a ver com nos vermos como homem ou mulher. Isto traz-nos segurança e suporte, permitindo ao individuo saber onde pertence, quer na família, quer na sociedade e no mundo. Com base nesta compreensão, ele ou ela sabem que posição a estabelecer nos relacionamentos. As seguintes cognições estão associadas com o esquema de função emocional: “sei quem sou. Onde pertenço. Sei o meu papel. Sei quem são os outros. Sou um homem/mulher”.

2.4 SENTIDO

Depois de adquiridos os níveis anteriores, o próximo passo de maturidade é o estabelecimento de um sistema de valores. A maturidade psicológica, desenvolve-se ao ponto do indíviduo pensar sobre a existência de valores na família e tentar encontrar os seus próprios valores.

Este nível, está relacionado com a seguinte atitude: “eu sei o que é importante para mim, o que vale a pena estar envolvido, onde gastar as minhas energias”. O indíviduo, tenta encontrar as suas respostas para questões existenciais da vida. Questões sobre o nascimento, sofrimento e morte.

As cognições associadas com o esquema emocional funcional são: “tenho uma ideia de onde venho, para que vivo e para onde quero ir depois da morte. Sei que existe algo superior a mim”

2.5 BEM-ESTAR FÍSICO E SENSAÇÃO DE BEM-ESTAR

Bem-estar e prazer por viver, é o resultado da conjugação de todas as necessidades anteriores de uma forma responsável. Esta necessidade, não se trata apenas de uma necessidade básica, mas é sim, um indicador de sucesso das satisfações das necessidades biopsicossociais. O bem-estar e o prazer, não são o objetivo, mas antes o resultado da negociação com o self e da satisfação das necessidades biopsicossociais básicas.

Participe na partilha de casos clínicos reais e aprofunde o seu conhecimento no próximo workshop. Ainda vai a tempo de reservar o seu lugar AQUI

​​


Posts Em Destaque
Posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square